Bebidas

Suco Bagaço e vida natural – mesmo

Uma mistura de maracujá com morango do Suco Bagaço

por Ricardo Oliveira

Você está ali de passagem pela praça de alimentação do Mag Shopping e, de repente, se depara com uma quitanda de frutas. É a casa de sucos Bagaço e tudo que você precisava para uma apresentação adequada está ali: frutas, muitas frutas, todas verdadeiras, fresquinhas, expostas por todos os lados da loja.

Peça um suco de tangerina com morango e veja o processo acontecer à sua frente. Nada de polpas tiradas de um freezer e batidas com algum sorvete. Estamos falando de cortar no balcão as tangerinas, espreme-las, selecionar os morangos (congelados) e bater com um pouco de gelo e açúcar opcionais. Descrevo aqui a preparação do suco que tomei ontem.

Ao mesmo tempo acontecia  a montagem do “Netuno”, um sanduíche natural de atum com mussarela, tomate, alface, batata palha…uma delícia. A apresentação ficou a desejar num pratinho muito pequeno e com palito “mal espetado”, fazendo com que uma das partes virasse na bandeja enquanto eu ia até a mesa. Mas era tudo, de fato, natural. Sem molhos, sem extras, sem firulas. Dentro do conjunto que parece ser o conceito da casa, tudo devidamente em seu lugar.

Os sucos? Provei 2 em dias diferentes. Sempre fui nas misturas, que me agradam. Depois que descobri os mixes com morango do Philipes, me apaixonei e experimento em outros lugares. É lá que tem umas fantásticas misturas de tangerina ou uva com morango – recomendo demais, são incríveis. Pois bem, voltando ao Bagaço…

O sanduíche de atum "Netuno"

Fui na primeira vez com maracujá e morango, batidos com leite condensado. Excelente mistura, super cremoso. Minha irmã provou acerola com morango e laranja e acho até que estava ainda melhor. Na segunda passada por lá, quando comi o sanduíche, fui de tangerina com morango e serviu para uma conclusão importante: Suco Bagaço é uma dos melhores acontecimentos de João Pessoa dos últimos anos.

O encanto da "quitanda" que é a loja

A franquia, já muito bem espalhada por todo Brasil, garante seu sucesso com um atendimento simpático, velocidade na montagem dos sucos e pratos e, obviamente, na qualidade do que vende. Melhor que isso? Só quando você sente que o custo-benefício está adequado. Os sucos de misturas custam em média R$ 7 – os simples são mais baratos. A casa ainda oferece promoções matinais com preços de 2 sucos por 1 e, no período da tarde, misturas a partir de R$ 2,99. O cardápio traz, além dos sucos, alguns sanduíches, vitaminas, saladas de frutas e tigelas. O sanduíche saiu por uns R$ 9.

Com ritmo garantido na frequência por lá, é certo que outras descobertas poderão acontecer o Bagaço voltar ao Magali. Tinha uma melancia lá, então está tudo certo.

O Suco Bagaço fica no Mag Shopping.

Read More

Curtinhas: milk shake e sorvetes

Registros improvisados da Amore Di Latti

Entre sorvetes…


- Já conhecem a Amore Di Latti, certo?
Caso não, resolve isso logo, cara. É a gelateria (que, segundo Murilo Gun, é apenas o nome novo que deram pra o sorvete ser mais caro) que ficou no lugar da Parmalat no Manaíra Shopping. A vantagem é que ela não é cara, além de ser mais saborosa e “sensorial”, por assim dizer. Provei os sabores Nutella e Doce de Leite numa primeira visita (essa da foto). Vale muito a pena, mas aviso às formigas que são sorvetes mais suaves. Não espere do doce de leite todo aqueeeele açúcar. Pelo estilo (e nome) da casa, o foco está mesmo em valorizar o leite – e o trato com o gelato será diferente das tradicionais Friberg ou GVictor’s da capital. O ambiente é romântico, cheio de cuidado aos detalhes e o preço do sorvete de duas bolas, com calda, é R$ 5. A Amore Di Latti também oferece sobremesas que me deixaram curioso e doido pra voltar mais vezes.

Qual o plural de milk shake?

…e milk shakes


- O Bob’s fechou parceria com a Nestlé
e me fez brilhar os olhos: meu chocolate preferido virou milk shake na casa de sanduíches que é mais famosa por seu tradicional shake de Ovomaltine do que pelos sanduíches. Fiz o meu pedido e já fiquei empolgado: sorvete de baunilha com calda de caramelo E de chocolate, com amendoim. Pois bem, a mistura das duas caldas com o sorvete fica sensacional (o chocolate fica ao fundo e a de caramelo nas laterais do copo), mas o amendoim meio que estraga o momento. E, veja, sou fã de amendoim. O erro é porque ele não combina muito com uma bebida, certo? A crocância de um ovomaltine até que vai, por ser menor e meio que se dissolver na boca. Mas, nesse caso, não funcionou.

- Dia desses deu uma vontade de tomar um shake de café depois do almoço. Fui direto ao saboroso franccino do Fran’s Café, que estava em falta. Fui ao drive do Habib’s checar seu frapê e tive que dar ré (bizarro), porque ainda estava fechado. Foi no dia seguinte que, indo pagar uma conta no Extra, lembrei que lá tem um quiosque do Grão Espresso e que talvez tivessem um shake cafeinesco para minha alegria. E têm. O tal “Capuccino Ice” (esse da foto acima) deixa o franccino no chinelo e, pela lembrança que tenho, até frapuccino do Starbucks fica um pouco pra trás. Bem cremoso, caprichado na calda e até uma pitadinha bem de leve, no ponto, de canela. A cafeteria ainda oferece o “Chocolate Ice” e “Banana Ice”, sem café. O melhor? A bagatela de R$ 5,50 por 300 ml. Lembrando que no Fran’s são 500 ml por R$ 10, também com ótimo sabor.

Read More

Na estrada: Joelho de Porco, na Cachaçaria do Dedé, em Manaus

Por Carol Marques

Foto: Carol Marques

Depois de uma semana na Amazônia, comendo peixe de manhã, de tarde e de noite, eis que encontro no meio do cardume nada menos que um joelho de porco defumado como opção de delícia gourmet para variar o cardápio.

Embora tenha resistido no começo, com dificuldade de associar essa articulação do suíno das lamas à ideia de sabor irresistível, terminei por me render à curiosidade de provar a especialidade da Cachaçaria do Dedé que, pelo ambiente, mostrava-se bastante convincente. Sei que a apresentação que você vê na foto não contribui para a minha credibilidade, mas a verdade é que o prato foi uma gratíssima surpresa manauara.

Sabe aquela sensação maravilhosa da faca que perfura uma capa crocante e encontra carne macia e suculenta? Foi exatamente isso! Tempero no ponto, assamento perfeito, “pururucada” de virar os olhos.

Não espere muito dos acompanhamentos. Nada de especial na dupla bicolor arroz branco e farofa amarelinha. Mas a carne vale tanto que você pode fechar os olhos (e abrir a boca) pra isso.

Parêntese, porque não sei viver sem ele: (o joelho de porco é tradicional na culinária alemã e você pode encontrá-lo nos menus da vida com o nome original: eisbein). Ok. foi curtinho.Voltando…

Foto: Carol Marques

Para os amantes da boa cerva, o local tem uma carta generosa de opções nacionais e internacionais. E a combinação é perfeita! Mas ei, é pecado sair do local sem tomar uma pinga – estamos numa cachaçaria, hein? A seleção de águas que passarinho não bebe ultrapassa os 800 rótulos, incluindo a branquinha paraibana Serra Limpa. E há drinks bem bacanas, como o caipilé. Não, caro campinense, não é homenagem ao músico da terrinha. Trata-se, na verdade, de uma mistura maravilhosa de capirinha com picolé. A que pedi era de morango com kiwi e picolé de abacaxi. A dose não é para os fracos, é bom alertar (tá, tá, confesso que bati pino).

A Cachaçaria tem dois endereços na capital amazonense. Fui à que fica no Manauara Shopping, cuja praça da alimentação é a mais linda que já vi na vida, com um incrível jardim-floresta e mesas ao ar livre.

Foto: Jordan Brandon

Não posso me esquecer de mencionar que cheguei ao Dedé graças à sugestão de um guia do Tree Climbing. E conversar com os guias, assim como com os taxistas, sobre dicas gastronômicas é algo que adoro fazer e que costuma render boas descobertas. Que venha a próxima!

Read More

Sobre

Magali com Cebolinhas é um caderno de pequenas gordices, descobertas e felicidades gastronômicas. Sem especialistas, o blog é formado por gente que gosta de comer - e isso é o bastante. Saiba a origem do nome do blog aqui. magali@diversita.com.br

Carol Marques


Carol Marques sempre teve cara de Luluzinha, mas tem apetite de Magali. Nunca dispensa a sobremesa e está sempre em busca do lugar perfeito para comer bem.

Ricardo Oliveira


Ricardo Oliveira é cinéfilo e formiga. Para ele, tudo que pode deve ter bastante açúcar: café, suco e até os doces devem ser bem doces. É do tipo que passa mal de alegria quando descobre uma nova sobremesa perfeita.