Posts Tagged "Sanduíches"

Suco Bagaço e vida natural – mesmo

Uma mistura de maracujá com morango do Suco Bagaço

por Ricardo Oliveira

Você está ali de passagem pela praça de alimentação do Mag Shopping e, de repente, se depara com uma quitanda de frutas. É a casa de sucos Bagaço e tudo que você precisava para uma apresentação adequada está ali: frutas, muitas frutas, todas verdadeiras, fresquinhas, expostas por todos os lados da loja.

Peça um suco de tangerina com morango e veja o processo acontecer à sua frente. Nada de polpas tiradas de um freezer e batidas com algum sorvete. Estamos falando de cortar no balcão as tangerinas, espreme-las, selecionar os morangos (congelados) e bater com um pouco de gelo e açúcar opcionais. Descrevo aqui a preparação do suco que tomei ontem.

Ao mesmo tempo acontecia  a montagem do “Netuno”, um sanduíche natural de atum com mussarela, tomate, alface, batata palha…uma delícia. A apresentação ficou a desejar num pratinho muito pequeno e com palito “mal espetado”, fazendo com que uma das partes virasse na bandeja enquanto eu ia até a mesa. Mas era tudo, de fato, natural. Sem molhos, sem extras, sem firulas. Dentro do conjunto que parece ser o conceito da casa, tudo devidamente em seu lugar.

Os sucos? Provei 2 em dias diferentes. Sempre fui nas misturas, que me agradam. Depois que descobri os mixes com morango do Philipes, me apaixonei e experimento em outros lugares. É lá que tem umas fantásticas misturas de tangerina ou uva com morango – recomendo demais, são incríveis. Pois bem, voltando ao Bagaço…

O sanduíche de atum "Netuno"

Fui na primeira vez com maracujá e morango, batidos com leite condensado. Excelente mistura, super cremoso. Minha irmã provou acerola com morango e laranja e acho até que estava ainda melhor. Na segunda passada por lá, quando comi o sanduíche, fui de tangerina com morango e serviu para uma conclusão importante: Suco Bagaço é uma dos melhores acontecimentos de João Pessoa dos últimos anos.

O encanto da "quitanda" que é a loja

A franquia, já muito bem espalhada por todo Brasil, garante seu sucesso com um atendimento simpático, velocidade na montagem dos sucos e pratos e, obviamente, na qualidade do que vende. Melhor que isso? Só quando você sente que o custo-benefício está adequado. Os sucos de misturas custam em média R$ 7 – os simples são mais baratos. A casa ainda oferece promoções matinais com preços de 2 sucos por 1 e, no período da tarde, misturas a partir de R$ 2,99. O cardápio traz, além dos sucos, alguns sanduíches, vitaminas, saladas de frutas e tigelas. O sanduíche saiu por uns R$ 9.

Com ritmo garantido na frequência por lá, é certo que outras descobertas poderão acontecer o Bagaço voltar ao Magali. Tinha uma melancia lá, então está tudo certo.

O Suco Bagaço fica no Mag Shopping.

Read More

Na Estrada: Hamburgueria Vintage, em Recife

A indispensável...

Milkshake de chocolate

por Ricardo Oliveira

O after do primeiro dia da Campus Party Recife foi lá na Hamburgueria Vintage – uma dessas vantagens da capital pernambucana: hamburguerias, no plural.

O objetivo da noite era conhecer outro hamburguer de Recife, já que o da Pin Up eu já havia provado no Shopping Recife e em Natal. A noite valeu a pena, apesar de pequenos problemas.

Ambas têm a mesma proposta: espaço com decoração retrô, hamburguers feitos lá mesmo e um cardápio caprichado (e até variado demais – as duas também servem comida japonesa, pela moda).

No cardápio da Vintage, uma diferenciação: uma lista de sanduíches com hamburguer (tradicional) e mais três opções “gourmet”, além das opções de frango, hot dogs e afins. Vi na lista dos gourmets uma opção com queijo gorgonzola e fiquei curioso. Já havia visto a mistura por aí e quis me arriscar.

Foi isso que chegou na mesa:

Hamburguer Gourmet com queijo gorgonzola...por cima de tudo!

 

Sim, isso tudo é queijo gorgonzola por cima do sanduíche. Apresentação péssima e foi aí que eu entendi o que significava o gourmet (não perguntei antes, achei que seria um preparo diferente da carne): vem apenas a parte de baixo do pão, a carne e queijo por cima, cobrindo tudo; pra comer de garfo e faca – imagino que seja por isso o “gourmet”. O amigo Patrick pediu um de cheddar e bacon:

O gourmet de cheddar com bacon

Gordice extrema. Uma bomba.

Veja o meu pedido, agora por dentro:

O corte do hamburguer gourmet com gorgonzola

É uma delícia. O hamburguer dos caras é feito direitinho…frito no ponto certo, sem secar demais e bem saboroso. É, de fato, um exagero de queijo o que vem e sabemos que exagerar no gorgonzola é um erro, pela força do sabor. Deve ter quem goste, mas perto do fim eu já estava enjoado. Achei, no vacilo do pedido, que era um sanduba tradicional, com queijo gorgonzola derretido por dentro. Mas valeu.

Esse é o modelo mais old school da casa, pedido pelo amigo Fabiano:

Os modelos tradicionais acompanham chips da casa

Provei um pedacinho desse e também estava ótimo. A apresentação dele é infinitamente melhor que a dos gourmets, o que é uma incongruência das grandes. Mas esse não é, nem de longe, o problema mais grave da casa.

Chegamos e pedimos hamburguers com milkshake pra tomar junto. Já que o gourmet não vem com batata frita pra acompanhar, pedi uma porção à parte. O garçom informa que ela é generosa, dá pra duas pessoas e geralmente chega antes dos sanduíches. Ok, então traz duas cocas com as batatas, pra gente curtir tipo uma entrada.

Chegam as duas cocas. Nada das batatas.

Chegam os milkshakes, sem os sanduíches. Nada das batatas.

Batatas chegam. Bem frias. Mandamos de volta.

As batatas "frias"

Os milkshakes, que já não vieram tão gelados como devem ser milkshakes… degelaram mais. Aí os sanduíches chegaram.

E, na metade da refeição, vêm as batatas quentinhas. São chips estilo ruffles, feitas por lá – diz o garçom. Gostosas, mas oleosas demais.

Ou seja: a experiência às vezes pode ser até saborosa, mas também atrapalhada.

O que fez o Vintage ganhar pontos extras foi justamente a ambientação agradável.  A banda Dona Encrenca, que fez o som da noite por lá, ajudou com extrema qualidade e ótimo repertório. Isso garante R$ 10 a mais em sua conta nas sextas à noite. O sanduíche e o milkshake saíram por uns R$ 25 e a batata, que vem com um queijo cheddar pra acompanhar, por R$ 7.

Apesar dos pesares, o Vintage entra na rota dos lugares legais pra frequentar em Recife.

Banda Dona Encrenca musicando a noite


Hamburgueria Vintage

Rua do Futuro, 425 – Graças Recife – PE
(0xx)81 3031-5022

 

Read More

Chicken-cheese-junior-egg-turkey-no-italiano

por Ricardo Oliveira

Magalizeiro que é magalizeiro pode não saber cozinhar, mas tem que saber se virar ~com criatividade~

Parece simples...

...mas é complexo!

E eu não vou passar a receita porque vocês podem se dar muito mal tentando fazer – improvisação é uma arte culinária que exige treinamento longo e…

Ok, Carol “mandou”:

1. Pão italiano do Pão de Açucar (daqueles que você pega em frente ao balcão da padaria). Passa aí a margarina e deixa um tempinho na chapa.
2. Ovo frito (a seu gosto) enquanto o pão assa.
3. O frango à romana do almoço. Empanado com farinha de rosca. O que na prática é um Chicken Junior mais legal, porque é mais saboroso – sem crocância, claro. Esquenta no microondas e tal.
4. Aí você faz os andares de acordo  com seu gosto. Os meus foram: salada (não faço questão dela ficar “bonitinha em cima”), frango, queijo muçarela (arrgh, odeio escrever assim), ovo, peito de peru defumado (nham!) e fecha com a outra fatia do pão.

Catchup e seja feliz.

Read More

Dica rapidinha: Laça Burguer

Aos pessoenses: abriu o Larça Burguer da nossa capital. A hamburgueria famosa do Recife agora está por aqui e o Magali já passou por lá. O ambiente ficou bem bacana e até já provamos um hamburguer… Será que vale?

Em breve! O Laça Burguer está lá na Av. Guarabira, bem pertinho da Av. Rui Carneiro.

Read More

Sobre

Magali com Cebolinhas é um caderno de pequenas gordices, descobertas e felicidades gastronômicas. Sem especialistas, o blog é formado por gente que gosta de comer - e isso é o bastante. Saiba a origem do nome do blog aqui. magali@diversita.com.br

Carol Marques


Carol Marques sempre teve cara de Luluzinha, mas tem apetite de Magali. Nunca dispensa a sobremesa e está sempre em busca do lugar perfeito para comer bem.

Ricardo Oliveira


Ricardo Oliveira é cinéfilo e formiga. Para ele, tudo que pode deve ter bastante açúcar: café, suco e até os doces devem ser bem doces. É do tipo que passa mal de alegria quando descobre uma nova sobremesa perfeita.